PARA ALÉM DO DISCURSO DOMINANTE DOS DIREITOS HUMANOS

Edna Raquel Hogemann, Vicente de Paulo Barreto

Resumo


Promove uma reflexão crítica sobre fundamentos teóricos do discurso dominante dos direitos humanos. O problema sob análise questiona a validade da assertiva de que pelo fato dos fundamentos teóricos do discurso dominante dos direitos humanos já ser objeto de ampla investigação, isso poderia sugerir que a reflexão acerca desse tema já estaria esgotada e não mereceria maiores contribuições, na medida em que costumam alicerçar-se em algumas premissas incontestáveis. As hipóteses elencadas supõem os Direitos humanos como um desdobramento consequente do pensamento liberal, ou produto das lutas políticas europeias da modernidade, tendo em seu âmago o lastro nuclear do liberalismo clássico e suas ideias de liberdade individual e igualdade formal. Caracteriza que as origens dos direitos humanos têm pouco ou nada a ver com a história e a racionalidade dos povos não ocidentais. Este discurso, pelas razões que serão apresentadas, projetou-se como um discurso hegemônico.   Trata-se de pesquisa qualitativa descritiva, com marco teórico na contribuição teórica de Mutua e Sousa Santos, para a promoção de uma reflexão crítica à essa concepção dominante dos direitos humanos, cujos contornos não consentem a conjetura de novos discursos, a partir da sinalização de caminhos que estimulem a (re)construção de discursos outros que considerem histórias e culturas através da alteridade levinasiana, interdependência e mutualismo humano. Tal pesquisa procura alcançar conclusivamente uma compreensão alternativa e interdisciplinar das questões relacionadas à formulação das políticas de direitos humanos na contemporaneidade, as quais contemplem o reforço ao respeito a esses, inúmeras vezes desconsiderados ou francamente desrespeitados pelo Estado Moderno.


Palavras-chave


Direitos Humanos; Discurso Hegemônico; Interdependência; Mutualismo Humano

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ISSN Eletrônico 2177-1758 / ISSN Impresso 1809-3280.

Adoção de Fluxo Contínuo para recebimento de trabalhos.

A Revista Direito e Liberdade está indexada em:

  • Nacionais: Ibict;  BDjur - Biblioteca Digital do STJ; Diadorim; LivRe; Sumários de Revistas Brasileiros (sumarios.org); OASISbr; Rede Virtual de Bibliotecas Congresso Nacional (RVBI).
  • Internacionais: Bielefeld Academic Search Engine (BASE); Cite Factor; Directory of Open Access Journals; DRJI; Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB); European Reference Index for the Humanities and the Social Sciences (ERIH PLUS); Google Scholar; JournalsforFree; Latindex; Library of Congress; MIAR (Information Matrix for the Analysis of Journals); Open Academic Journal Index (OAJI); Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico; SHERPA/RoMEO; Web of Science Emerging Sources Citation Index; WorldCat; JournalTOCs.